Estudo fundamental no contexto do “Therapeutic Drug Monitoring” (TDM) na terapêutica da DII com anti
TNF, que demostrou:
  • O único factor preditivo de não resposta primária à semana 14 foi concentração subterapêutica
de fármaco.
  • A concentração subterapêutica de fármaco à semana 14 foi, por sua vez, preditiva de:
  1. não remissão clínica à semana 54
  2. imunogenicidade – sendo que o desenvolvimento de anticorpos anti-­‐fármaco também foi preditivo de concentrações baixas do fármaco
  •  A concentração terapêutica óptima associada a remissão clinica à semana 14 e 54 foi de:
  1.  Infliximab 7mg/L
  2.  Adalimumab 12mg/L
  • Confirma que a utilização de terapêutica combinada com azatioprina ou metotrexato reduz a
formação de anticorpos anti-­‐fármaco para infliximab e adalimumab.

No comentário acrescenta-­‐se que:

  • O TDM proactivo à semana 14 é crucial.
  • O estudo tem com limitação principal a não utilização de calprotectina fecal na monitorização da resposta à terapêutica, pelo que não dá informação acerca do doente em remissão clinica mas
    com inflamação subclínica persistente. Chama igualmente a atenção para a falta de informação endoscópica e histológica e da não diferenciação entre anticorpos persistentes e transitórios.
  •  Discute mecanismos de sinergia da azatioprina e infliximab, pois neste estudo a terapêutica combinada levou a maior taxa de remissão clinica à semana 54 independentemente da
    imunogenicidade e concentração do fármaco – ao contrário do que se verificou no estudo SONIC.
 
Agenda
De 12 de Fevereiro a 15 de Fevereiro de 2020 Vienna
15th Congress of ECCO
©2019 GEDII - Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal | Todos os direitos reservados | Links úteis | Termos e condiçoes
Desenvolvido por DogmaSis